Da geração ao consumidor final: Entenda o Sistema Elétrico De Potência (SEP)

Card image cap

Da geração ao consumidor final: Entenda o Sistema Elétrico De Potência (SEP)

Saiba como funciona o sistema elétrico brasileiro e os caminhos da energia até a sua casa.


No dia a dia, com certeza você observa vários fios passando pelos postes até chegar na sua residência ou na sua empresa, mas você sabe o caminho percorrido pela energia até chegar em você, consumidor final? A eletricidade é a principal fonte de luz, calor e força utilizada no mundo, por isso muito do que se faz hoje depende da energia elétrica, o que resulta em uma crescente demanda por parte dos consumidores e, consequentemente, no aumento e na necessidade de um sistema completo e competente de fornecimento. Podendo ser produzida por diferentes tipos de usinas, a eletricidade é transmitida e distribuída aos consumidores por sistemas elétricos complexos e, no Brasil, é estruturada em quatro etapas: geração, transmissão, distribuição e consumo.


                                                                                                               

Ilustração dos caminhos percorridos pela energia elétrica. Fonte: Berkan



O Sistema Elétrico de Potência (SEP) brasileiro tem por objetivo, de acordo com a Norma Regulamentadora - NR10, fazer com que a energia passe pelos processos supracitados garantindo padrões, são eles: Confiabilidade (o tempo que o componente, parte ou sistema levará para falhar), Disponibilidade (a probabilidade de um sistema não estar com falha ou em reparo quando requisitado para uso), Qualidade da energia (a condição de compatibilidade entre o esperado e o fornecido) e Segurança (a habilidade do sistema de responder a distúrbios que possam ocorrer no sistema).

Existe também um órgão responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica chamado Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

GERAÇÃO

O sistema de geração é formado por um gigante conjunto de usinas geradoras, podendo ser de iniciativa pública ou privada e, como vimos no conteúdo de geração de energia, a brasileira advém majoritariamente das energias renováveis, em sua maior parte por hidrelétricas, entre elas a de Itaipu, a segunda maior do mundo. A energia é sempre feita em tensão igual ou inferior a 30 kV. A nível de curiosidade, o Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica do país, sendo abastecido quase por completo apenas por essa modalidade.

TRANSMISSÃO

Dada a necessidade de transmitir a energia gerada nas usinas até os centros urbanos, onde será consumida, há todo um aparato tecnológico e uma logística que tornam essa transmissão possível. A eletricidade sai dos geradores e é transportada por cabos aéreos revestidos por camadas isolantes e fixados em grandes e altas torres de metal. Esse conjunto de cabo e torres é chamado de rede de transmissão de energia elétrica.



Torres de transmissão. Fonte: Governo Federal


O sistema de transmissão é formado pelas linhas de transmissão e pelas subestações. Sendo esse sistema dividido em transmissão e subtransmissão: A transmissão normalmente é com tensão de 230 kV e superior. Já a subtransmissão normalmente é com tensão compreendida entre 138 kV e 69 kV. A tensão dessas linhas depende da quantidade de energia a ser transportada e da distância a ser percorrida. Consequentemente, quanto maior a distância entre a geração e o consumo, maior será a tensão para transmissão. É importante salientar que a maior parte da energia é transmitida em corrente alternada na faixa de 60 Hz.

Como as redes de transmissão são trifásicas, existem três conjuntos de cabos de cada lado das torres, acompanhados por um cabo mais alto, chamado de cabo guarda, que tem como função servir de para-raios e garantir a segurança dos outros. As linhas de transmissão conectam usinas geradoras aos grandes consumidores ou à empresas distribuidoras de energia. No intermédio da geração, transmissão e distribuição contamos com a atuação das subestações, sendo elas de elevação quando conectadas a quem produz e de abaixamento quando está mais próxima dos consumidores.



Linhas de transmissão e grupos de tensão. 


DISTRIBUIÇÃO

O sistema de distribuição de energia é composto pela rede de energia elétrica que se ver continuamente nos fios e nos postes das cidades, ramificado ao longo de ruas e avenidas para conectar fisicamente o sistema de transmissão aos consumidores finais, em sua maioria os consumidores residenciais. O sistema de distribuição opera na faixa de 35 kVa 110/220V, sendo a tensão mais baixa a que alimenta as residências.

A responsabilidade de pegar a energia elétrica das transmissoras e entregar aos consumidores é das distribuidoras, no RN a COSERN, A conexão, o atendimento e a entrega efetiva de energia elétrica ao consumidor do ambiente regulado ocorrem por parte das distribuidoras de energia. Do total da energia distribuída no Brasil, dentre as Distribuidoras associadas à Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica), o setor privado é responsável pela distribuição de, aproximadamente, 60% da energia, enquanto as empresas públicas se responsabilizam por, aproximadamente, 40%.

As redes de baixa tensão, com tensão elétrica que pode variar entre 110 e 440 V, são afixadas nos postes de concreto juntamente com as redes de média tensão. As redes de baixa tensão são direcionadas até as residências e pequenos comércios/indústrias, já os supermercados, comércios e indústrias de médio e grande porte adquirem energia elétrica diretamente das redes de média tensão, ficando a sua responsabilidade transformá-la em níveis de tensão usuais para os seus equipamentos.

CONSUMO

O consumo de energia é um dos principais indicadores do desenvolvimento econômico e do nível de qualidade de vida de qualquer sociedade. Ele reflete tanto o ritmo de atividade dos setores industrial, comercial e de serviços, quanto a capacidade da população para adquirir bens e serviços tecnologicamente mais avançados, como automóveis (que demandam combustíveis), eletrodomésticos e eletroeletrônicos (que exigem acesso à rede elétrica e pressionam o consumo de energia elétrica), no Brasil essa queda no consumo se deu ao início da crise econômica. A maior parte do uso de energia elétrica está na região Sudeste por sua importância econômica, e maior densidade de consumidores.

O setor elétrico brasileiro é extremamente grande e complexo e envolve muito mais coisas, por isso é interessante que você leia os posts anteriores e os próximos para ficar antenado em tudo. De qualquer forma, quero todos antenados e respondendo quando alguém perguntar “como a energia chegou aqui?”. Se quiser saber se a energia da sua empresa está sendo utilizada da maneira mais eficiente possível, entre em contato conosco e solicite um diagnóstico gratuito.

Por Marcelo Augusto

Você vai se interessar também

Card image cap
O que é a Internet das Coisas e como ela impacta o uso de Energia Elétrica?

Sabe o que é Internet das Coisas e como ela pode automatizar sua empresa e reduzir o consumo de energia? Acesse esse post para saber mais!

Card image cap
Energia Solar e sua alta viabilidade no Nordeste

Quer descobrir as vantagens do uso de placas solares na região nordeste? Venha conferir!

Card image cap
Indústria 4.0 e os benefícios da eficiência energética

Já ouviu falar em indústria 4.0? Saiba como a eficiência energética e a LUMUS podem ajudar a reduzir o consumo de energia e automatizar processos.